Assista The Cave, da Netflix, com cenas emocionantes !

Se você não viveu numa caverna (diferente), pelos últimos dois anos, é provável que você tenha ficado na ponta da cadeira, por mais de 2 semanas, no verão passado, após as desventuras e o resgate de 13 crianças presas, num complexo de cavernas subterrâneas, inundadas de Tham Luang, em Chiang Rai, Tailândia.

As notícias sobre os meninos de um time de futebol juvenil chamado, “Wild Boars” e seu treinador, foram seguidas por todo o mundo, com ansiedade, enquanto o apoio e a assistência chegavam de todos os lugares.

O diretor tailandês-irlandês Tom Waller agora transformou esses 18 dias mum filme, “The Cave”, que teve sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Busan, estreia europeia no BFI London Film Festival e estreia norte-americana no Festival de Cinema de Vancouver .

O resgate foi bem-sucedido, no final, e os meninos foram todos trazidos de volta à segurança.


É fácil imaginar que um evento tão famoso, mundialmente, seria um material procurado por cineastas, produtores e contadores de histórias em geral e Waller tentou fechar um acordo com o Ministério da Cultura, que estava zelando pelos direitos dos meninos .

Porém, a Netflix já havia adquirido os direitos de uma minissérie e por isso “The Cave” concentra seu foco na equipe de resgate e isso, na verdade, é o que a torna realmente especial.

A operação envolveu mais de 10.000 pessoas, incluindo mais de 100 mergulhadores e muitos trabalhadores de resgate e aqueles campeões que trabalharam, incansavelmente, e sem descanso, longe dos holofotes, são os verdadeiros protagonistas do filme.

Nenhum tempo é perdido nas preliminares e durante os créditos iniciais os meninos já estão em apuros (literalmente).

Quando o acampamento base para o resgate é montado, as pessoas em todos os lugares sentem o desejo de fazer algo, qualquer coisa para ajudar e, inevitavelmente, algumas barreiras burocráticas devem ser colocadas para evitar o caos; infelizmente, eles também acabam atrasando algumas boas ações, como o chefe de uma fábrica de bombas d’água que dirige suas bombas turbo-jato, a 900 km de Chang Mai, apenas para ser recusado por não ter o passe certo.

A insistência do homem e seu bom coração no final fazem acontecer e suas bombas d’água desempenham um papel fundamental na operação.


Quando os mergulhadores britânicos John Volanthen e Richard Stanton encontram os meninos vivos, numa rocha elevada na 9ª (!!) câmara da caverna, a corrida com o tempo torna-se urgente, conforme a próxima chuva de monções se aproxima, e a equipe deve encontrar uma maneira de mover 13 meninos assustados, sem experiência em mergulho, e a única maneira é debaixo d’água!

“The Cave” apresenta quatro dos mergulhadores interpretando a si mesmos e reencenando o resgate:

Erik Brown, do Canadá, Mikko Paasi, da Finlândia, Tan Xiaolong, da China e uma atenção especial é dada ao mergulhador irlandês, Jim Warny, que os diretores conhecem, pessoalmente.

Um elemento importante no filme de Waller também é a religião.

A caverna está imbuída de espiritualidade, conforme diz a lenda que a bela princesa Nang Non se apaixonou por um humilde cavalariço e engravidou.

Eles fugiram e entraram na caverna, mas o menino foi capturado e morto.

A angustiada princesa cometeu suicídio e o mito diz que seu sangue se tornou a água que inunda a caverna e seu corpo as montanhas circundantes.

A personalidade religiosa foi para a caverna durante o resgate e durante todo o tempo a oração e a fé ajudaram muito as famílias e as pessoas que esperavam, do lado de fora, e contribuíram para o sentimento de unidade e ausência de barreiras, entre todas as pessoas envolvidas.

Com sua mistura de drama roteirizado e fatos reencenados, “The Cave” parece um documentário, mas com um ritmo incrivelmente emocionante, apesar de ser baseado numa história verdadeira e bem conhecida.

O trabalho de câmera é muito dinâmico, como esperado, com algumas sequências habilidosas e atraentes na caverna e a trilha sonora altamente climática é a chave para a dramatização.

A presença de alguns dos verdadeiros protagonistas e muitos fatos menos conhecidos como os camponeses recusando indenizações pelas safras danificadas para doar à causa, reitera o conceito central do filme, de que o resgate foi um esforço conjunto, uma aliança de pessoas dos mais diferentes cantos do planeta, trabalhando juntas por um objetivo comum, numa operação sem precedentes.

Em momentos em que as más notícias são a maneira mais fácil de causar impacto e admiração, é uma sensação estimulante poder descobrir o oposto.

Leia também:

https://enquetepop.com/2020/08/22/boneca-russa-um-verdadeiro-nossa-o-que-esta-rolando-em-formato-de-serie-na-netflix/

The Cave

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *