Dez produções LGBT+ que você não pode deixar de ver, na Netflix!

Mês de junho chegou e com ele o meu (que no caso sou gay), o seu (se tu for LGBT), o nosso (que somos LGBT) mês da representatividade!!! Dez produções LGBT+ que você não pode deixar de ver, na Netflix!

ÊÊÊÊÊÊÊ!!!!

No dia 28 de junho de 1969, nas primeiras horas da madrugada, aconteceu um verdadeiro motim, na frente do bar, Stonewall Inn, em Nova York, lugar bastante frequentado, por pessoas do meio.

Cansados com o abuso sofrido, por policiais, todos os LGBTs que estavam no bar, na hora, começaram a se revoltar e o dia se tornou um marco, para a nossa história

Foi o momento em que o ativismo começou de fato a acontecer, em prol da liberdade!!!!!

Por causa da revolta, o mês do orgulho se tornou o de julho, para celebrar e lembrar das pessoas, da nossa comunidade, que lutaram, pelos nossos direitos, e um mês também recheado de paradas, em diversos países, pelo mundo todo como: França, Alemanha e o nosso Brasil!

Então, por ser o mês da diversidade, resolvi listar dez produções LGBT bem acessíveis, todas disponíveis pela Netflix.

Morte e Vida, de Marsha P. Johnson

Levantando diversas questões importantes, o documentário original, da Netflix, fala sobre Victoria Cruz, que investiga a morte misteriosa da ativista LGBT negra, Marsha P. Johnson, em 1992.

Marsha, bastante conhecida, no meio, participou das revoltas de Stonewall e das diversas paradas que se seguiriam, sendo uma das figuras mais importante da cultura.

Usando entrevistas arquivadas de Marsha e novas entrevistas com amigos ativistas e família, Victoria tenta buscar a verdade do que teria levado a morte de Marsha.

Carol

Ambientado, na Nova York , dos anos 1950, esse filme romântico e sensível fala sobre uma aspirante a fotógrafa, Therese e a sua paixão correspondida e proibida que sente, por uma mulher mais velha, Carol.

Adaptado do livro quase autobriográfico de Patricia Highsmith, o filme é dirigido por Todd Haynes e conta com Cate Blanchett, a nossa eterna Galadriel, da trilogia Senhor dos Anéis, sendo Carol, e Rooney Mara, que interpreta Therese, também ótima no filme.

O elenco também conta com a nossa eterna suprema, Sarah Paulson.

Um filme perfeito para se assistir, numa noite fria, com o cobertor quentinho, comendo brigadeiro, direto do fogo.

Pose

And the category is… Melhor série da Netflix extravaganza!

A série ambientada (mais uma vez) ,em Nova York, mostra a cultura do ballroom, no cenário underground da cidade, e as vidas, amores e vivências, dos diversos personagens LGBT+ ,da série, nos anos 1980, tempo em que a AIDS era motivo de medo, principalmente, das pessoas do meio artístico.

Criada por Ryan Murphy, tem o elenco de maior representatividade trans, com mais de 50 pessoas transgênero, na frente e atrás das câmeras.

A série nos agracia, com vários atores impressionantes, como : Dominique Jackson, que interpreta a nossa big work mama Elektra e a gay mais icônica do tapete vermelho, Billy Porter.

Please Like Me

Lançada em 2013, fala sobre Josh, um jovem com seus 20 anos, que passa por uma fase turbulenta, ao perceber que é gay e começa a se relacionar, com outros homens.

Essa dramédia é perfeita para você que gosta do bom e velho sarcasmo e humor autodepreciativo.

Fofa, inteligente e charmosa, a série é escrita e estrelada por Josh Thomas, que traz alguns elementos de sua vivência que torna a cereja no bolo, dessa trama.

Tocando temas pesados como, depressão e suicídio, não se deixe enganar!!!!

É uma série que consegue ser leve, com personagens bem aprofundados e engraçados, sem ser tristes.

Hollywood

Uma série original Netflix, que fala sobre um grupo de sonhadores aspirantes a atores, diretores e escritores, que ambicionam chegar à tão desejada tela grande, não importa o que custar.

Ryan Murphy dá uma de Tarantino e reimagina a Hollywood, se as minorias tivessem imposto o seu lugar, no meio cinematográfico.

No elenco temos Patti LuPone e Holland Taylor (fan fact: parceira, atualmente, de Sarah Paulson), e no elenco mais jovem, David Corenswet, Laura Harrier (de Homem Aranha: De Volta ao Lar), Jeremy Pope e Samara Weaving (de Sex Education).

Moonlight

Um drama de amadurecimento quefala sobre três estágios da vida, de seu protagonista: sua juventude, adolescência e o começo da vida adulta, em que ele explora sua sexualidade e dificuldades de lidar com ela, numa família desestruturada.

Escrito e dirigido por Barry Jenkins, o filme deu o que falar, no icônico momento do Oscar de 2017, quando foi anunciado como o verdadeiro vencedor, da categoria mais importante, a de melhor filme.

Com atuações de Maheshala Ali, que ganhou um Oscar por sua atuação, Threvante Rhodes e Naomie Harris, o filme chama atenção pela sua bela fotografia feita por, James Laxton.

Elisa e Marcela

Baseado em fatos reais, o filme fala sobre como um casal lésbico enganou a Igreja Católica, com Elisa se vestindo de homem e conseguindo se casar, na Espanha, em 1901.

Uma produção original Netflix, o filme é dirigido e escrito por Isabel Coixet, tem Natalia de Molina, como Elisa e Greta Férnandes como Marcela, além de uma fotografia espetacular, em preto e branco.

Meu Nome é Ray

Ray decide transicionar para o masculino, o que acaba provocando conflitos entre sua mãe e sua avó.

O filme, dirigido por Gaby Dellal, tem um elenco de peso com duas atrizes consagradíssimas: Susan Sarandon, fazendo a avó lésbica transfóbica e Naomi Watts a mãe.

Elle Fanning inperpreta Ray. Um filme bem didático para quem quer saber mais sobre a identidade de gênero e transição.

Hoje eu Quero Voltar Sozinho

Filme gay brasileiro, pra te deixar com o coração quentinho, que fala sobre o romance entre dois alunos, entre eles, um cego.

Baseado em um curta metragem, o filme tem Guilherme Lobo e Fabio Audi, como protagonistas, e aborda muito bem a questão do descobrimento da sexualidade, na adolescência.

Dez produções LGBT+ que você não pode deixar de ver, na Netflix!

Secreto e Proibido

Documentario norte-americano, recém saído do forno, que conta como um casal de lésbicas conseguiu esconder a sua relação desde, pasmem, os anos 1940!!!

O documentário conta com diversos relatos de parentes e amigos relembrando os anos em que se apresentavam como amigas ou primas, e do próprio casal e como elas passaram esses mais de 70 anos juntas. O sonho de amor eterno para qualquer pessoa!!!

Produzido por Jason Bloom e, de novo ele, Ryan Murphy.

Trailer

Leia também: https://enquetepop.com/2020/06/10/lancamentos-da-netflix-no-mes-de-junho/

Dez produções LGBT+ que você não pode deixar de ver, na Netflix!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *